A importância dos começos

 Em autoconhecimento, bastidores atelier, jornalismo, mudanças

O primeiro ano de faculdade foi uma mistura muito gostosa de sentimentos. Logo para mim, que nunca soube o que fazer e caí de paraquedas no curso de jornalismo quando me peguei procurando sobre a profissão e indo atrás de relatos de estudantes da área para saber se o curso era do jeito que eu imaginava. Até hoje não sei como a ideia de fazer jornalismo veio na minha cabeça mas estou muito contente que ela apareceu. Logo no começo me deparei com momentos de muitas experiências novas, com os ensinamentos dentro e fora da sala de aula e com o contato que tive com pessoas tão diversas e singulares, que fizeram o inicio da  minha jornada ser muito empolgante. 

O choque de começar uma faculdade logo depois de sair do ensino médio é gigantesco e pode apavorar muito, mas eu  não estava me sentindo assim, para minha surpresa me vi animada e feliz com a nova fase que ia se iniciar. A rotina muda, as exigências e as responsabilidades ficam maiores, o  foco se torna outro e acredito que eu encarei todas essas transformações de uma maneira positiva, vi como uma oportunidade de crescer e evoluir muito. Estava muito empolgada para descobrir um mundo que eu não conhecia, o mundo onde as coisas realmente acontecem e por ter tantas cobranças, tanto na vida profissional quanto na pessoal, é o pavor de todo adulto e confesso que foi o meu também. 

No momento em que me toquei que fazia parte desse universo universitário comecei a perceber algumas coisas que estão o tempo todo na cabeça do jovem que está na faculdade, como ter um estágio. Notei que isso  é algo essencial, quase que um pré-requisito para ser um jovem estudante completo, já que estaria estudando e trabalhando ao mesmo tempo. Após uns dois meses de faculdade era só o que eu ouvia nas rodinhas dos meus amigos, uns contando que tinham conseguido – e outros perdido -, uns ansiosos para receber a resposta da aprovação por e-mail, e outros que assim como eu não tinham  nem parado para pensar sobre isso e ainda estavam processando todas as novidades. 

Então, eu pensei: “é isso, tenho que conseguir um estágio”. Comecei a enviar currículo para diversas empresas e agências, me cadastrei em quase todos os sites de empregos e todo dia atualizava minha caixa de entrada. Fiquei por volta de quatro meses procurando um estágio de modo automático e desenfreado quando parei para pensar que talvez não fosse algo tão importante assim para o primeiro ano da faculdade. Então, relaxei e coloquei meu foco em realizar bem os trabalhos da faculdade.

Foi nesse momento que percebi que as oportunidades aparecem quando a gente menos espera. Depois de eu praticamente ter desistido de estagiar no primeiro ano, surgiu uma vaga muito legal aqui no Atelier. Enviei meu currículo, fui para a dinâmica em grupo e passei. Em menos de uma semana já comecei a trabalhar. Em menos de 12 meses, tive mais um grande começo na minha vida. 

Esses grandes começos são importantes. Ter iniciado um estágio no mesmo ano em que entrei na faculdade é uma experiência muito bacana e diferente. Conseguir colocar em prática alguns conceitos e conteúdos que eu aprendi na aula e entrar em contato com situações totalmente diferentes que eu nunca pensei que fossem fazer parte da minha vida é desafiador e motivante. Cada dia é um ensinamento novo, como escrever um artigo desde o início sobre um assunto que eu não tinha contato e não sabia muito bem como falar sobre , o que faz com que eu cresça ainda mais. Agora ter  um estágio faz muito mais sentido para mim, não é só pelo salário, é sobre se conhecer ainda mais em cada tarefa e projeto, é sobre entender seus limites e habilidades. Ter esse momento de começar a a trabalhar no início da faculdade é muito bom para o autoconhecimento e cria um ciclo virtuoso. Assim como aplico o que aprendi na faculdade no trabalho, aplico o que aprendi no trabalho na faculdade e consigo entregar trabalhos muito melhores. É sobre começar algo novo e importante em uma fase animadora e próspera. 

Recent Posts

Deixe seu comentário